Absolutismo Monárquico

O absolutismo monárquico foi um tipo de regime político no qual a concentração do poder estava exclusivamente nas mãos do rei. O absolutismo monárquico surgiu para solucionar as guerras civis religiosas e permaneceu até o século XVIII.

No início da era moderna, a Reforma Protestante foi um dos principais marcos. Esse fenômeno desencadeou uma série de guerras civis pela Europa, levando a um caos político. O Estado Absolutista foi uma resposta a tudo isso, com a ideia inicial de “reorganizar” as nações, por meio de um governo robusto.

A necessidade de formação de fronteiras fortes, intransponíveis, e a alta credibilidade dos monarcas foram cartas brancas para que essa classe subisse ao poder, sem precisar reportar as suas ações a ninguém.

Junto a isso, alguns intelectuais, como Jacques Bossuet, defendiam que os reis eram a própria representação da vontade de Deus na Terra. Nicolau Maquiavel, por sua vez, considerava que qualquer medida poderia ser pertinente para promover a ordem (“Os fins justificam os meios”). Já Thomas Hobbes acreditava que a monarquia tinha salvado a população da “barbárie”.

No entanto, no fundo, a monarquia era mesmo a representação dos ideais dos nobres e da recém-estabelecida burguesia, defendendo seus próprios interesses.

Nações absolutistas

O regime de Luís XIV na França, no período de 1638 a 1715, é considerado um dos maiores ícones do absolutismo europeu. Além disso, também passaram pela monarquia absolutista países como a Inglaterra (Henrique VIII e Elisabeth I) e a Espanha (Fernando de Aragão e Isabel de Castela).

Absolutismo na prática

Os monarcas eram a personificação dos três poderes (legislativo, executivo e judiciário). Dessa maneira, tinham liberdade para criar leis, montar exércitos, cobrar impostos ou o que mais lhes parecesse relevante. Em algumas situações, chegavam até a interferir nas decisões do clero.

Já os membros da população não eram categorizados exatamente como cidadãos, a exemplo do que acontece hoje, mas como súditos do rei.

Fim do absolutismo

O absolutismo começou a apresentar sinais de decadência na época da Revolução Francesa, durante a qual ficaram mais evidentes as ideias iluministas. A tendência natural foi a substituição pela república, na maioria dos países.

Atualizado em: 04/09/2019 na categoria: História Geral