O Estreito de Gibraltar – História, Travessia…

O Estreito de Gibraltar é um canal de água que separa, naturalmente, o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico, sendo a única abertura entre eles, separando os continentes da África e Europa. Localizam-se ao norte, a Espanha e o território inglês ultramarino de Gibraltar. Ao sul, está Marrocos e Ceuta.estreito-de-gibraltarO estreito possui 14,24 km e é de domínio do Reino Unido, mas há também uma parte espanhola, protegida pelo Parque Natural do Estreito, e é muito utilizado pelos africanos que vão, ilegalmente, para a Europa.

Mas como esse estreito surgiu?

Estudos geológicos apontam que o estreito de Gibraltar é produto de uma fissura em duas placas tectônicas: a Euroasiática e a Africana. Sua profundidade varia entre 280m até, aproximadamente, 1000m.É através do Estreito de Gibraltar que ocorre o encontro das águas entre o oceano Atlântico e o Mar Mediterrâneo, que geram correntes fortes, já que as águas superficiais do Atlântico são mais frias e pouco salgadas, e sobrepõem-se às do Mar de Alborão, que são mais profundas, quentes e salgadas.

O estreito de Gibraltar e a Mitologia – Hércules

Antigamente, O estreito de Gibraltar era conhecido como “Os Pilares de Hércules”. Isso porque, segundo a mitologia grega, Hércules precisou atravessar um estreito marítimo para concluir suas tarefas, e então abriu um caminho com seus próprios ombros, dividindo dois rochedos: Gibraltar (monte Calpe) e Hacho (Abília), que resultou no estreito de Gibraltar, ligando o oceano Atlântico e o mar Mediterrâneo.

Os dois montes então formados foram chamados de Pilares de Hércules ou Colunas de Hércules.

O nome estreito de Gibraltar foi dado, mais tarde nome em homenagem ao general Tariq ibn Ziyad, que atravessou todo o canal, o que ficou conhecido como a primeira incursão mulçumana em direção à Penísula Ibérica.

Estreito de Gibraltar- Travessia

O tráfego no estreito de Gibraltar é intenso e um dos maiores do mundo, incluindo balsas que levam automóveis, passageiros e turistas, além de cargueiros e petroleiros, o que faz aumentar o risco de contaminação das águas por acidentes de vazamento.A Espanha e Marrocos têm discutido a construção de um túnel ou ponte para facilitar a travessia do canal, mas essas construções seriam de alto custo.