Poluição sonora

A poluição sonora ainda continua sendo um tipo de poluição eu não é muito discutida e, devido a isso, nem sempre nos damos conta dos reais impactos que ela pode nos trazer. A poluição sonora é o nome dado a ruídos que são provocados, por exemplo, por uma estrada movimentada de carros, os trânsitos da cidade, os barulhos de equipamentos de fábricas, o tráfego de aviões e outros meios aéreos, latidos de cachorros e outros sons fortes produzidos por animais, o barulho em escolas, o som de show, construções, feiras e outros lugares onde sempre existem algum tipo de barulho que, quando em coletivo, sempre ocasiona barulhos desconfortáveis á população. Mas nem todos os sons também são considerados poluição sonora.

O som pode ser demonstrado através de vibrações, alterações na pressão que se estendem no ambiente. Já os ruídos ou os barulhos são definidos como sons indesejáveis, o que acaba se tornando uma poluição sonora.

Apesar de aparentar ser um problema recorrente que só apareceu nos tempos modernos, foi constatado que os incômodos causados por barulhos e ruídos são combatidos desde o século 7 a.C. Já existiam regras na Roma antiga para evitar que os ruídos e os barulhos das carroças que trafegavam pelas ruas que eram feitas de pedras que sempre atrapalhavam a hora de dormir dos romanos.

Como podemos ouvir os sons

O nosso sistema nervoso consegue captar mecanicamente e decodificar os sons agradáveis e os sons que incomodam e atrapalham. As ondas sonoras podem ser pelo ouvido externo que é composto pela orelha e também pelo canal auditivo externo. No final do canal auditivo está presente uma membrana que vibra conforme a intensidade e frequência das ondas do som. Essa membrana se é chamada de tímpano. As vibrações fornecidas aos tímpanos são transmitidas para três minúsculos ossos articulados chamados de estribo, martelo e bigorna, que ficam no ouvido médio.