Porque as pessoas migram

Por que as pessoas migram? Os movimentos populacionais migratórios remontam aos tempos pré-históricos e continuam ocorrendo ainda hoje. Independentemente das migrações forçadas, o homem parece estar sempre à procura de novos horizontes.

No decorrer do século XIX, milhões de europeus e asiáticos dirigiram-se, sobretudo para a  América e a Oceania, ao passo que, nas últimas décadas, presenciamos não somente a ida, mas também o retorno de milhares e milhares de pessoas em direção à Europa e à Ásia (Japão, em especial). Até mesmo o Brasil, país de tradição imigratória, tem transferido milhares de brasileiros em direção a Europa, Estados Unidos e outros países. Somente no período 1985/1987 cerca de 1,2 milhão de brasileiros emigraram em definitivo.

Isso mostra que as migrações não são movimentos populacionais aleatórios nem desvinculados do contexto socioeconômico mundial ou mesmo regional. Na verdade, as migrações e, sobretudo os grandes movimentos migratórios são decorrentes de condições estruturais (países de economias estagnadas ou sem maiores perspectivas de progresso) e conjunturais (crises políticas e econômicas, revoluções, perseguições etc.).

Se da Europa emigraram 60 milhões de pessoas até por volta da Segunda Guerra, foi porque as condições socioeconômicas desfavoráveis na época contribuíram de forma decisiva para isso. Por outro lado, o fato de a grande maioria desses indivíduos ter migrado para a América é explicado exatamente pelas condições (estruturais ou conjunturais) favoráveis que o continente apresentava na mesma época.



Assim, podemos compreender também que não foi por acaso que a Europa hoje se transformou de área tradicionalmente repulsiva para atrativa, enquanto países como Brasil e Argentina, tradicionais áreas atrativas, são agora repulsivas (ambos atravessam um longo período de estagnação e de crises econômicas).

As migrações costumam ser classificadas quanto ao espaço de deslocamento e quanto ao tempo de duração. Em relação ao espaço, elas podem ser internas ou nacionais (quando ocorrem dentro de um mesmo país) e externas ou internacionais (quando implicam a travessia de uma ou mais fronteiras internacionais). Quanto ao tempo, as migrações podem ser definitivas ou temporárias (diárias, sazonais ou por tempo indeterminado).

As pessoas migrampor inúmeras razões, podendo ser determinadas por fatores políticos (divergências ou perseguições), étnico-raciais (emigração de judeus da Europa, por exemplo) e também econômicos, que são sem dúvida os predominantes (pessoas que migram em busca de melhores condições de vida).


Mais Sobre esse Assunto: