Aspectos da Primeira Revolução Industrial

» » Aspectos da Primeira Revolução Industrial

A Primeira Revolução Industrial alterou toda uma forma de enxergar a produção e o comércio. Inicialmente, ela se propagou com força na Inglaterra, mas não tardou para que países vizinhos adotassem as mesmas invenções e utilizações da ciência e tecnologia em prol do lucro, como a Alemanha, a Bélgica, a Holanda e a Rússia, além do parente distante localizado na América do Norte, os Estados Unidos.

O século 18 ficou marcado como revolucionário para os processos comerciais até então utilizados, com uma evolução constante da tecnologia empregada, o que diminuiu a produção artesã e deu os primeiros passos para a organização das indústrias.

Quem se deu melhor nessa mudança brusca foi o capitalismo, que passou a servir de base para organizar melhor as produções, que passaram a ser mais velozes e padronizadas, da mesma forma que a exploração da mão-de-obra deu ali os seus primeiros passos, o que culminou, também,  em um novo sentido à comercialização,

Primeira Fase da Revolução Industrial

Dois pontos cruciais que impulsionaram o setor industrial devem ser mencionados: o uso do carvão como fonte de energia; e a conseqüente invenção das máquinas a vapor e das locomotivas, que contribuíram para agilizar o processo de criação de produtos e distribuição dos mesmos.

A princípio, esses adventos científicos foram melhor usufruídos pela produção têxtil, que, como já citado, dependia de toda uma rotina artesanal, até então. Com a chegada das máquinas, o trabalho poderia fazer, sem esforço, o mesmo que muitos trabalhadores não conseguiriam no mesmo período de tempo.

E, se antes da Primeira fase da Revolução Industrial a concentração era menos urbana, o êxodo rural foi imediato, praticamente, o que expandiu de forma desenfreada os centros das cidades, o que levou à marginalização de bairros afastados dos centros industriais, bem como a exploração de uma mão-de-obra cada vez mais barateada.