Reformistas ou marxistas

A diferença entre os reformistas ou marxistas é que enquanto os neomalthusianos consideram o grande crescimento populacional um obstáculo ao desenvolvimento e também o responsável pela miséria do Terceiro Mundo, os reformistas, ao contrário, consideram a própria miséria como sendo a responsável pelo acelerado crescimento da população. Assim, defendem a necessidade de reformas socioeconômicas que permitam a melhoria do padrão de vida.

O exemplo dos países desenvolvidos mostra que o crescimento populacional não é incompatível com o desenvolvimento econômico, desde que seja acompanhado de planejamento ou de reformas sociais. Afinal, quase todos os países desenvolvidos sofreram, no período entre o século XIX e a primeira metade do século XX, considerável expansão demográfica. Se não conhecemos casos recentes de países que se tornaram desenvolvidos apenas com a redução da natalidade, existem muitos exemplos de países cujo desenvolvimento econômico e social propiciou acentuada redução espontânea da natalidade e do crescimento populacional.

A questão é, portanto, complexa, e qualquer radicalismo é desaconselhável. Afinal existem países populosos desenvolvidos e subdesenvolvidos, países não-populosos desenvolvidos e subdesenvolvidos, e países densamente povoados desenvolvidos e subdesenvolvidos.

E mais: qual a população ideal para cada país? A população atual do Brasil é a ideal? Há quem afirme que, se bem distribuída geograficamente e mediante um desenvolvimento econômico e social satisfatório, nosso país pode abrigar 500 milhões de habitantes ou mais.

Atualizado em: 27/10/2017 na categoria: Historia do Brasil