Talóftas

As talófitas são conhecidas como algas pluricelulares (com muitas células), pois são plantas muito simples, pois não apresentam raízes, caules, folhas, flores, frutos e nem sementes. Elas apresentam apenas um único talo.

O talo tem a forma de filamento, lâmina ou raminhos. Foram os primeiros vegetais que surgiram em nosso planeta.

As talófitas vivem em ambientes aquáticos (mares, rios, lagos e pântanos), em pedras, troncos de árvores e em superfícies muito úmidas, como: uma superfície verde e pegajosa que fica sobre os rochedos onde o mar bate, nas paredes de um aquário, de uma piscina, que se chama limo, e que é formada por minúsculas algas.

Algumas algas têm vida livre porque não estão presas a lugar nenhum, boiam na água, com ajuda dos flutuadores (bolinhas cheias de ar). Ex.: fucus.

Existem outras algas que vivem presas às rochas, no fundo dos mares ou rios, são fixas por uma estrutura chamada de apressórios.

Todas as algas têm clorofila, por isso realizam a fotossíntese (produzem seu alimento), não tendo vasos para a condução da seiva. Apesar disso, nem todas são verdes. Há outros pigmentos que dão várias cores às algas.

Quanto à cor (pigmento), as algas foram classificadas em: clorofíceas, feofíceas e rodofíceas.

As clorofíceas ou clorófitas são as algas verdes; vivem na superfície da água, apresentando corpo em forma de filamento e de folha. Ex.: valva e cladophora. Algumas algas verdes vivem em simbiose com fungos, formando estruturas chamadas de líquens, encontradas em troncos de árvores.

As rodofíceas ou rodófitas são as algas vermelhas, pois apresenta uma substância chamada ficoeritrina, responsável por sua cor. Essas algas são usadas por alguns moluscos, que armazenam em seu corpo o pigmento. Este, ao ser ingerido em grande quantidade, provoca intoxicações. São encontradas em grandes profundidades.

As feofíceas ou feófitas são também conhecidas por algas pardas, que se encontra em profundidades médias no mar. Apresentam cor marrom, têm forma de lâmina e uma ramificação chamada apressócio (fixada a alga ao solo). Ex.: padina, fucus e sargaço.

As talófitas podem se reproduzir de duas maneiras: assexuada e sexuadamente.

A reprodução assexuada pode ser de dois tipos:

– Por fragmentação: onde um pedaço do filamento da alga destaca-se e origina uma nova alga;

– Por esporos: ocorre quando se separam do talo os zoósporos que se movimentam por serem móveis, e ao cair irão formar uma nova alga.

A reprodução sexuada ocorre quando duas algas (zoósporos) se unem, todo o interior da célula se mistura formando o zigoto. Este se divide em quatro células, que ao se soltarem irão dar origem, no local onde caírem, a quatro novas células.

As talófitas apresentam várias utilidades ao homem, tal como renovar o oxigênio do ar e da água. A maioria é usada como alimento por peixes e por pessoas, fertilizantes para plantas terrestres, fornecem alginatos que é uma substância que dá consistência a cremes de barbear e creme dental e também a carregenina.

Atualizado em: 27/10/2017 na categoria: Classificação das Plantas