Bases Sociais do Absolutismo

Sabe quais são as bases sociais do absolutismo? A sociedade governada pelos Estados absolutistas mantinha ainda características feudais.

A nobreza era a camada social dominante. O nascimento e a tradição de um indivíduo eram importantes para se ter privilégios sociais e permaneciam relações típicas do feudalismo, tais como a servidão e a apropriação de rendas dos camponeses e arrendatários por alguns nobres. A sociedade de ordens era a mesma da Idade Média: o clero era a primeira ordem, a nobreza a segunda e a burguesia e as camadas populares formavam a terceira, embora, por serviços prestados ao soberano ou pela compra dos títulos, muitos burgueses tenham ascendido à condição de nobres.

Na economia, o absolutismo correspondeu ao período de transição do feudalismo ao capitalismo, quando a burguesia, sob a proteção do Estado absolutista, acumulou capitais e criou condições para o desenvolvimento da sociedade capitalista.

Política no absolutismo

No plano político, a formação do Estado absolutista correspondeu a uma necessidade de centralização do poder nas mãos dos reis, para controlar a grande massa de camponeses independentes e adequar-se ao surgimento da burguesia. Embora fosse um Estado da nobreza, defensor dos privilégios dessa classe, esta abdicou o poder político em nome de seu representante mais esclarecido e mais aceito pela população: o rei.

Para controlar os nobres que não aceitavam perder sua autonomia e submeter-se ao Estado, esse rei apoiou-se também na burguesia, a quem concedeu monopólios comerciais. Para a maioria dos nobres, que tinha perdido suas terras e rendas feudais, o rei concedia pensões, honrarias, privilégios fiscais e judiciários, além dos rendimentos dos melhores cargos do Estado.

Para manter seus privilégios, num mundo mercantil que desconheciam, os nobres tudo aceitavam. Abdicaram de sua autonomia e foram obrigados a submeter-se ao poder real.

Os burgueses também aceitavam as imposições do Estado. Afinal, desenvolvendo e incentivando o comércio e as manufaturas, organizando a expansão marítima e a exploração das colônias, o rei garantia-lhes fontes de lucro e meios de enriquecimento. Quem financiava com juros as guerras e aventuras dos reis eram os grandes banqueiros burgueses.

Agora já conhece as bases do absolutismo.

Atualizado em: 20/08/2018 na categoria: História Geral