» » Extrativismo mineral

Extrativismo mineral

Extrativismo é a atividade pela qual o homem retira da natureza os recursos por ela produzidos (minerais, vegetais, animais). E a mais antiga atividade humana, precedendo a agricultura, a pecuária e a indústria. Praticado ao longo do tempo por todas as sociedades, continua, em maior ou menor escala, ocorrendo em todo o mundo.

O extrativismo mineral, responsável em grande parte pela degradação da natureza e ao mesmo tempo pela sustentação da maior parte do desenvolvimento industrial e pelo progresso do bem-estar social, é, sem dúvida, uma das mais importantes atividades do mundo atual.

Uma das principais questões relacionadas ao extrativismo mineral diz respeito à distribuição geográfica das jazidas e sua utilização: a distribuição é muito irregular e nem sempre o país possuidor do minério é o principal beneficiado.

Desprovidos de capital, de tecnologia e de indústrias de base, os países do Terceiro Mundo, com raras exceções, são meros fornecedores de matérias-primas aos países desenvolvidos. Vendemos as matérias-primas a baixos preços e as recebemos de volta sob a forma de produtos industrializados a preços muito mais elevados. Aliás, essa história já é bastante conhecida e muito antiga: a América Latina abarrotou a Europa (Inglaterra, especialmente) de ouro e prata e continua até hoje fornecendo cobre, prata, estanho, ferro, manganês, ouro, etc.

Portanto, podemos dizer que apenas possuir o minério nem sempre é o mais importante. De maior importância é saber como aproveitá-lo e possuir os meios para tanto. Um bom exemplo disso é o caso do Brasil e Japão: o primeiro é muito rico em quantidade e variedade de recursos minerais e o segundo é muito pobre; no entanto, o primeiro é um país economicamente pobre e o segundo, muito rico. O PNB e a renda per capita do Japão são, respectivamente, 7 e 8 vezes maiores que os do Brasil.

Panorama Mundial das matérias-primas minerais

A questão da produção e do consumo das matérias-primas minerais é praticamente a mesma das matérias-primas agrícolas: os países do Terceiro Mundo são responsáveis por grande parte da produção mundial de recursos minerais, mas a quase totalidade desses produtos é adquirida, controlada e consumida pelos países desenvolvidos.

Os principais problemas enfrentados pelos países subdesenvolvidos nesse setor são: excesso de oferta de matérias-primas minerais, provocando queda dos preços; fatores ocasionais ou cíclicos, como as quedas de produção, as variações cambiais, etc.; fatores estruturais, como o protecionismo e a política de preços mínimos impostos pelos países compradores, o avanço tecnológico, reduzindo ou substituindo a utilização de certas matérias-primas por outras, o grau de desenvolvimento do setor terciário (finanças, seguros etc.) nos países desenvolvidos; e inexistência de organizações eficientes e representativas por parte dos países produtores de matérias-primas, como já ocorre com o petróleo (Opep).

Classificação dos minerais

As duas classificações mais utilizadas no extrativismo mineral referem-se à quantidade e aos tipos de minerais. No primeiro caso, os minerais costumam ser classificados em abundantes (ferro, manganês, etc.) e escassos (ouro, prata, etc.). Claro que essa classificação deve ser vista com ressalvas, pois um minério que hoje é abundante poderá, daqui a algum tempo, tornar-se escasso, ao passo que um minério hoje escasso poderá tornar-se abundante, caso ocorra a descoberta de novas e grandes jazidas.

No segundo caso, os minerais são classificados em dois tipos principais e gerais: minerais metálicas, como ferro, manganês, alumínio, cobre, chumbo e ouro; minerais não-metálicos, como petróleo e carvão (combustíveis fósseis), areia, argila e cascalho (materiais de construção), sais, nitratos, fosfatos, enxofre e potássio (minerais da indústria química e fertilizantes).

Estado de alguns minerais

Pelas vantagens que apresenta e pela abundância em que ocorre na natureza, o ferro é um dos metais mais utilizados em todo o mundo. Conhecido desde aproximadamente 2000 a.C., tornou-se, a partir do século XVIII, com a Revolução Industrial, o metal mais importante da civilização moderna.

Seu processo de fundição é relativamente simples, requerendo poucas condições para tal: existência do minério, carvão (coque ou lenha), calcário e calor.

Os principais minérios de ferro são a magnetita (Fe30), com 72,4% de Fé; a hematita (Fe203), com 70% de Fé; a limonita e a siderita.

Matéria-prima da siderurgia, após seu processamento (barras e chapas, por exemplo), o ferro é utilizado em inúmeros setores (construção civil, de ferramentas, etc.).

A comparação no extrativismo mineral entre e ferro e aço mostra que, dos cinco maiores produtores de minério de ferro, apenas dois se incluem entre os cinco maiores produtores de aço. O aço é uma liga de ferro e carbono, ou seja, é o minério de ferro já processado industrialmente.

Atualizado em: 20/08/2018 na categoria: Geografia Geral