O que é Absolutismo?

O absolutismo foi uma forma de governo surgida na Europa, que defendia o poder absoluto e sem restrições a uma só pessoa. O objetivo do absolutismo era defender as demandas da nobreza feudal e da burguesia mercantilista.

Absolutismo x interesses da população

Esse tipo de governo foi muito comum entre os séculos XVI e XIX. Com os monarcas no poder, a nobreza podia ficar tranquila em relação à posse e controle de terras.

A concentração do poder era, portanto, bem vista pela burguesia em ascensão e pelos nobres. Por outro lado, o restante da sociedade não era consultado para nenhum dos projetos do rei. Em alguns momentos, os reis também se envolviam em questões religiosas, passando a controlar o clero.

Como funcionava o absolutismo na prática?

Os reis absolutistas podiam criar impostos (inclusive alfandegários, para artigos internacionais, a fim de proteger a produção interna) e determinar e impor leis livremente.

Além disso, também era sua responsabilidade garantir a segurança do reino, formando um exército robusto que fosse capaz de impedir invasões estrangeiras e sufocar rebeliões ou revoltas.

A criação de moeda e idioma único para toda a nação também surge nessa época, com o conceito de “Estado-nação”.

Quem defendia o absolutismo?

Nicolau Maquiavel, Thomas Hobbes, Jacques Bossuet e Jean Bodin foram alguns dos intelectuais da época que eram fortemente favoráveis a essa forma de governo.

Exemplos de Absolutismo

Esse regime marcou países como:

  • França, principalmente com Luís XIV;
  • Inglaterra, com o rei Henrique VIII e ainda a Rainha Elizabeth;
  • Espanha, com o rei Fernando de Aragão e sua esposa, a rainha Isabel de Castela.

Críticas ao absolutismo

Os ideais sobre o absolutismo só começaram a ruir após a divulgação de noções iluministas, a partir do século XVIII. Em seguida, teve início o período conhecido como “república”.

Atualizado em: 04/04/2019 na categoria: História Geral