» » Teoria Neomalthusiana

Teoria Neomalthusiana

Em 1945, após a Segunda Guerra Mundial, em São Francisco, nos Estados Unidos, houve uma conferência de paz, que por fim culminou na criação da ONU (Organização das Nações Unidas). Nesta reunião, várias teorias para que não houvesse um novo conflito militar foram discutidas. Apenas uma opinião era consenso dos participantes: para que houvesse mais paz entre os povos, existia uma necessidade urgente da diminuição das desigualdades sociais.

Mas o que é a Teoria Neomalthusiana

A Teoria Neomalthusiana apoia as mesmas ideias da Teoria Malthusiana ao achar que o crescimento demográfico populacional é um problema e portanto deve ser controlado.

A diferença entre a Teoria Malthusiana e a NeoMalthusiana é que a Malthusiana considera o problema para todo o mundo, enquanto a Neo aplica-o apenas aos países subdesenvolvidos.

Mais Sobre esse Assunto:

Assim, o aumento demográfico nos países subdesenvolvidos para os neomalthusianos é consequência do baixo desenvolvimento econômico.

Mas os países desenvolvidos defendem o Neomalthusianismo?

Os países subdesenvolvidos viram a origem de seus problemas na colonização de exploração realizada em seus territórios e consequentemente na disparidade das relações comerciais.

Assim, passaram a propor reformas na economia, o que diminuiria os benefícios dos países desenvolvidos. Que então, não concordaram com a Teoria Neomalthusiana.

Como agiram os países desenvolvidos?

Formulou-se a teoria Neomalthusiana, onde a numerosa população jovem, consequência da taxa de natalidade dos países subdesenvolvidos, precisariam de muito investimento em educação e saúde. Assim, menos recursos seriam usados para a agricultura e a indústria, sendo obstáculo para o melhoramento das atividades da economia e embarreirando a condição da população.

Para os neomalthusianos também, quanto menos população um país tivesse, menor seria a renda per capta por habitante e menos dinheiro seria distribuído pelos agentes econômicos.

O que propunham os neomalthusianos para a pobreza

– Controle de natalidade por métodos anticoncepcionais;

– Acobertar os baixos salários e as péssimas condições de vida;

– Afirmar que os países subdesenvolvidos ‘jogavam fora’ capital com desenvolvimento social.

Atualizado em: 20/08/2018 na categoria: Geografia Geral