» » Quinhentismo, Barroco e Arcadismo

Quinhentismo, Barroco e Arcadismo

A história da literatura brasileira conta com várias escolas literárias diferentes. Todas tiveram a sua importância de acordo com o contexto político social da época em que ocorreram.

Portando, para ajudar a entender um pouco melhor a literatura, vamos ao longo deste artigo citar as principais características de cada uma das três escolas: quinhentismo, barroco e arcadismo.

Quinhentismo

Trata-se de uma denominação comum, de todas as manifestações da literatura que ocorreram durante o séc XVI no Brasil. Na realidade não passaram da inserção da cultura da Europa em nossas terras.

– O destaque é para o Padre José de Anchieta (representante da literatura jesuíta ou de catequese);

– Outra personalidade marcante é Pero Vaz de Caminha (o escrivão da frota de Pedro Álvares de Cabral);

– A literatura da época é considerada a literatura de Informação, sendo bastante descritiva em relação às condições geográficas e culturais.

Leia também:

Barroco

Esta escola é marcada por inserir a poesia camoniana. Perdura pelo século XVII e início do século XVIII.

– Contradições e conflitos espirituais são marcantes;

– As obras relatam o as angústias tratadas pelo mundo material em oposição ao espiritual;

– Aleijadinho marca este período com suas esculturas;

– Autores marcantes: Bento Teixeira (com a Prosopopeia), Gregório de Matos (com Boca de Inferno), e novamente Padro Antônio Vieira (com Sermão de Santo Antônio ou dos Peixes).

Arcadismo

O Arcadismo é também considerado Neoclassicismo e marca o século XVIII.

– Como característica marcante está a ascensão da burguesia e de seus valores políticos e culturais;

– A escola barroca é deixada de lado e então, o foco passa a ser no objetivismo e na razão;

– A linguagem literária é bem simples;

– Os ideais de uma vida no campo são marcantes – vida bucólica tanto em relação à natureza e à mulher amada;

– Autores: Cláudio Manoel da Costa (Obra poética), Basílio da Gama (O Uruguai), Tomás Antonio Gonzaga (Cartas Chilenas e Marília de Dirceu).

Atualizado em: 05/06/2018 na categoria: Literatura