Regionalização do espaço brasileiro

Quando a Geografia surgiu como ciência propriamente dita, com normas e princípios, era comum usar o conceito de “região natural”. Ela reunia características de relevo, clima, hidrografia e vegetação que eram diferentes das outras regiões em tomo. Durante a expansão imperialista européia sobre a Ásia e a África, o conceito de região & natural foi muito utilizado. Os geógrafos dividiam o espaço conforme suas características físicas e relacionavam suas potencialidades econômicas. Com o tempo, surgiram outras formas de entender o espaço geográfico. Uma das que mais se popularizou foi o conceito de região geográfica. Diferentemente da região natural, a região geográfica era delimitada pelas relações entre o espaço natural e a sociedade, que produzem uma “cultura diferente” em determinada área.

Posteriormente, no século XX, as diversas correntes de pensamento geográfico passaram a atribuir um caráter mais amplo para a região, sempre usando critérios econômicos ou parâmetros influenciados pela economia. Logo após a 11 Guerra Mundial essa tendência manifestou-se nos estudos brasileiros, que vêem a região como uma forma de compreender e planejar o Brasil. Em 1967 o IBGE criou o conceito de macrorregião. A divisão então efetuada estabeleceu cinco macrorregiões, como mostra o mapa. Essa divisão baseou-se em critérios estatísticos. As regiões criadas mantinham a divisão político-administrativa dos estados. Apresentava, por isso1 distorções muito grandes. Um exemplo dessas distorções pode ser visto no estado de Minas Gerais. A maior parte de seu tenitório mostra- ia semelhanças sociais e econômicas com São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, com os quais passou a formar a região Sudeste. Mas o centro-noite de Minas Gerais (vale do Jequitinhonha) não se encaixava nesses parâmetros. Essa parcela pobre de Minas apresentava os índices da região Nordeste. Mas como o critério obrigava a obedecer a divisão político-administrativa, o Vale do Jequitinhonha, apesar de pobre e com graves problemas, foi incorporado à região Sudeste.

Tipos de Regionalização do espaço brasileiro

Esse tipo de homogeneização pode gerar interpretações muito equivocadas e acobertar uma realidade que exige intervenções diferenciadas. Para evitar que essa divisão fosse vista como a única, surgiram sugestões inovadoras. Uma dessas sugestões, baseada na divisão regional do trabalho, divide o país em três regiões conforme sua  homogeneidade, ou seja, conforme a característica produtiva dominante em cada uma delas, sem levar em conta os limites políticos territoriais dos estados. Por essa fórmula obtemos então a seguinte divisão:  Centro-Sul  região que concentra e polariza as atividades econômicas do país, graças à industrialização. Estendeu sua influência até os planaltos do Centro- Oeste ao expandir as fronteiras agrícolas, que hoje atendem aos interesses do capital industrial. A região é marcada pela urbanização, com numerosas grandes cidades e duas metrópoles nacionais (São Paulo e Rio de Janeiro). O capital financeiro é um elemento flindamental da economia: concentra se grandes bancos e suas sedes administrativas. As cidades da região exercem forte atração populacional sobre as demais regiões.

Nordeste  Marcado pela pobreza da maior parte da população, em contraste com o poder econômico das oligarquias tradicionais, que detêm o poder político. A região ainda enfrenta longos períodos de estiagem na área do Sertão. Tal situação agrava o já caótico quadro social, gerando uma característica regional marcante, a emigração. Essa situação afetou o cotidiano das grandes cidades do Nordeste que rcceóem parte que aóancróna as zonas rurais, multiplicando as favelas e outras formas precárias de moradia, Amazônia  Quase intocada durante séculos, atualmente enfrenta um processo de ocupação que coloca em risco o equiltrio ambiental. Além disso, a região sofre com os desmatamentos e os garimpos ilegais, que tomam a região também mais violenta. Nas últimas décadas, preocupações adicionais chamam a atenção para a Amazônia: o narcotráfico e a biopirataria. Para melhor orientar o desenvolvimento regional criou- se na d&’Ada de ?9/ a Sudam (Superrhridência de Desenvolvimento da Amazônia), cuja área de atuação inclui, além dos estados da região Norte, o norte do Mato Grosso, Tucanos e o oeste do Marasmo.

Entendeu sobre a Regionalização do espaço brasileiro?

Atualizado em: 27/10/2017 na categoria: Geografia do Brasil