A sociedade pós-industrial

 O que é uma sociedade pós-industrial? Por cerca de duzentos anos predominou no mundo a sociedade industrial. A maior parte dos empregos vinculava-se direta ou indiretamente à indústria. O trabalho braçal nas fábricas era muito presente. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, o sistema capitalista se reorganizou e rapidamente teve início unia escalada de competividade que obrigou a mudanças radicais na forma de produzir e de fazer negócios nos negócios, os acordos  alianças, pactos  e posteriormente, os blocos econômicos deram o tom das transformações.

Na produção, um investimento cada vez mais avolumado em tecnologia vai retirando o trabalho braçal da fábrica. As máquinas realizam as tarefas qual por completo, bastando que computadores avaliem e solucionem as situações criadas. O ser humano, lentamente, vai se afastando do trabalho pesado. Com isso, cresceu o setor de serviços, chamado de setor terciário. Um mundo novo está nascendo no trabalho. Novas relações sociais, humanas e econômicas estão substituindo as antigas formas de emprego.

Mas também surgiram novas profissões. Somente o setor de informática criou nos últimos vinte anos cerca de cinquenta novas atividades: programadores, analistas, técnicos, web, especialistas em segurança, técnicos de rede etc. Outros setores vêem suas vocações mudarem por completo. O turismo, considerado anteriormente pouco importante do ponto de vista da geração de riquezas e empregos, hoje é um dos setores que mais crescem no planeta. Cursos de capacitação e qualificação são cada vez mais comuns nesse setor. A biotecnologia transformou quase todas as atividades ligadas a esse ramo. Já a psicologia está cada vez mais se especializando nas relações de trabalho.

Enfim, mais novidades e modernismos estão incrementando um mundo em transformação permanente. Todas essas novidades afetam nosso dia-a-dia: horários e locais de trabalho flexíveis, mudanças nas leis trabalhistas (nem sempre a favor dos trabalhadores), maior subpotência do conhecimento para a conquista de um posto de trabalho e, infelizmente, a sobrevivência ameaçada daqueles que não conseguiram adaptar-se. O é que essas mudanças estão ocorrendo em velocidade alucinante e o nome de empregos que estão surgindo e não compensa os postos de trabalho eliminados.

Os defensores das transformações argumentam que estamos vivendo uma fase de acomodação, uma sociedade pós-industrial. E os críticos lembram que essa situação coloca em risco a estabilidade social, uma vez que grandes massas de trabalhadores estão sendo excluídas do processo produtivo. Enfim, com certeza o desemprego vai ser um dos principais problemas do século XXI.

Atualizado em: 27/10/2017 na categoria: Geografia Geral