» » Cantigas de escárnio e maldizer do trovadorismo

Cantigas de escárnio e maldizer do trovadorismo

As espécies de manifestações literárias relacionadas com o início da literatura portuguesa tem ainda uma última forma de expressão que consistiu nas chamadas cantigas de escárnio e maldizer do trovadorismo.

Estas cantigas de maneira diferente das anteriores já estudadas mostram o trovador fazendo brincadeiras, sátiras e até mesmo criticando alguém de seu tempo e convívio de forma indireta.

Devido à sua relevância vamos mostrar a seguir neste artigo os conceitos e principais características relacionadas com esta forma de escrita tão peculiar de seu tempo.

Conceito das cantigas de escárnio e maldizer do trovadorismo

As cantigas de escárnio e maldizer do trovadorismo eram escritas, muitas vezes, pelos mesmos trovadores das cantigas de amor e amigo demonstrando com isso a presença de um terceiro eu-lírico adequado para agradar as pessoas mais populares da sociedade desta época.

Mais Sobre esse Assunto:

Esta forma de literatura consistia em um gênero de poesia típico da Idade Média sendo feitas entre os anos de 1189 e 1350 sendo escritas na língua galego-português como todos os textos mais populares existentes neste período histórico.

As cantigas de escárnio, como o próprio nome mostra, estão relacionadas com poesias na qual o eu-lírico faz uma sátira a alguém com versos cheios de duplos sentidos realizando de maneira indireta a crítica desejada.

No caso destas cantigas de forma específica o grande objetivo era levar ao humor e por isso a forma como as mesmas eram contadas levavam a uma maior ênfase e graça em suas composições sendo que o trovador buscava sempre evitar o conhecimento de quem seria a pessoa da qual estava falando na cantiga.

Já as cantigas de maldizer faziam também uma sátira a alguém mas de maneira bem direta sem a presença de expressões com duplo sentido sendo que muitas vezes o seu alvo recebia palavrões e ofensas na poesia produzida sendo que seu nome poderia ou não ser revelado.

Atualizado em: 20/08/2018 na categoria: Literatura