» » Classificação do Relevo Brasileiro mais Atual de Jurandyr Ross

Classificação do Relevo Brasileiro mais Atual de Jurandyr Ross

A última classificação do relevo brasileiro foi feita por Jurandyr Ross em 1989, que incluiu planaltos e planícies e depressões. O Brasil é um país geologicamente velho, o que significa dizer que ele está sob a ação dos agentes naturais há muitos e muitos anos, o que modificou e muito o seu território.

Classificação do relevo brasileiro segundo Aroldo de Azevedo

Essa foi a primeira classificação proposta para o relevo brasileiro. De acordo com essa classificação, o Brasil possui 59% de planaltos e 41% de planícies. As planícies são regiões planas mais baixas, enquanto os planaltos são regiões planas com altitudes mais elevadas.

Essa classificação divide o Brasil em oito grandes regiões ou unidades de relevo: o planalto das Guianas, a planície Amazônia, o planalto Central, a planície do Pantanal, o planalto Atlântico, a planície costeira, o planalto Meridional e a planície de Pampa.

Classificação do relevo brasileiro segundo Aziz Ab’Saber

A mudança principal em relação a essa classificação foi a definição de planalto e planície. Esse geógrafo considerava como planalto toda área na qual a erosão é maior do que a sedimentação e a planície como as áreas onde a sedimentação é maior que a erosão.

Assim, o Brasil passou a ser constituído de 75% de planaltos e 25% de planícies, surgindo, agora, dez das chamadas unidades de relevo: o planalto das Guianas, a Planície e Terras Baixas Amazônicas, o planalto Central, o planalto do Maranhão-Piauí, o planalto Nordestino, a planície do Pantanal, as serras e planaltos do Leste e Sudeste, as planícies de terras baixas costeiras, o planalto Meridional e o planalto Uruguaio Sul-Rio-Grandense.

Classificação do relevo brasileiro segundo Jurandyr Ross

Essa última classificação foi feita em 1989. Jurandyr Ross usou métodos de análises mais completos, como a morfoestrutura (origem geológica), o paleoclima (ação de agentes climáticos antigos) e o morfoclima (ação dos agentes climáticos atuais), resultando em uma classificação exata. Nessa classificação outro tipo de relevo foi adicionado: a depressão. Seguem as definições:

  • Planaltos – são porções residuais salientes do relevo mais resistentes à erosão;
  • Planícies – superfícies planas onde o processo de sedimentação é maior que o de erosão;
  • Depressões – áreas rebaixadas pelo processo de erosão nas bordas das bacias sedimentares, entre as mesmas e os maciços cristalinos.

Essa classificação dividiu o Brasil em 28 unidades de relevo, 11 planaltos, 11 depressões e 6 planícies. Essa é a classificação utilizada ainda hoje.

Atualizado em: 01/11/2018 na categoria: Geografia do Brasil