» » Holocausto Brasileiro – O Manicômio e suas Torturas

Holocausto Brasileiro – O Manicômio e suas Torturas

O Holocausto Brasileiro é o nome dado ao período onde grandes manicômios foram abertos em Barbacena, no estado de Minas Gerais, bem no início dos anos 1900, quando milhares de pessoas foram torturadas e mortas durante esse período.

Muito se houve falar sobre o holocausto europeu, que aconteceu na Alemanha durante o governo do ditador fascista Adolf Hitler, mas poucos sabem que o Brasil experimentou uma situação muito semelhante.

Como começou o Holocausto brasileiro?

Em 1903, foi inaugurado um grande manicômio em Barbacena – MG, chamado de Colônia, em referência aos atos que aconteciam na Alemanha Nazista.

Os pacientes desse manicômio, chamado erroneamente de hospital, sofriam “tratamentos” atrozes, que eram torturas claras, e acredita-se que cerca de 60 mil pessoas morreram dentro das paredes da Colônia.

O manicômio, construído para abrigar 200 pessoas, chegou a ser a casa de cinco mil pacientes, que sofriam maus tratos, eram acumulados nos pátios do local sem roupa, sem água e quase sem comida, sem nenhuma condição de higiene por mínima que fosse, e sem qualidade de vida alguma, em condições sub-humanas.

Os pacientes eram obrigados a se alimentar do que encontravam, como ratos e pombas vivos, e chegavam ao extremo de ingerir urina e água de esgoto para matar a sede. Não havia local específico para as necessidades fisiológicas, que eram feitas em qualquer lugar.

Existem registros de que algo em torno de 16 pessoas morriam todos os dias e essas mortes geravam lucros para quem estava no comando do local, pois os seus corpos eram vendidos para universidades, para serem estudados.

O uso de terapias de choque, torturas e os abusos sexuais aos internos do local eram práticas comuns no local.

Em 1961 os acontecimentos foram delatados pela primeira vez e divulgados na mídia, mas nenhuma providência foi tomada a princípio. O mais absurdo é que o local funcionou dessa forma até o fim dos anos 70.

Hoje o hospital ainda funciona, mas com práticas totalmente diferentes das realizadas em seu início, pois elas foram reformuladas completamente após a reforma manicomial da década de 70.

Atualizado em: 01/11/2018 na categoria: Historia do Brasil