Quais são as Regiões Geoeconômicas do Brasil?

As regiões geoeconômicas do Brasil são a Amazônia, o Centro-Sul e o Nordeste. Elas são divisões diferentes das macrorregiões brasileiras (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul) porque levam em consideração aspectos diferentes, como características socioeconômicas, naturais e o processo histórico.

Alguns estados não estão situados totalmente dentro de uma mesma região, pois as regiões geoeconômicas não seguem as fronteiras dos estados e sim suas próprias delimitações.

Características das regiões geoeconômicas

As características das regiões geoeconômicas organizadas separadamente são:

Amazônia

A região geoeconômica da Amazônia é a menos populosa das três regiões e envolve todos os estados do Norte do Brasil (exceto uma parte de Tocantins), o Oeste do Maranhão e boa parte do estado de Mato Grosso.

A economia da Amazônia é baseada em extrativismo animal, vegetal, mineral e agropecuária em alguns locais. Parte do minério de ferro do Brasil advém de uma multinacional localizada nessa região, especificamente na serra dos Carajás, no estado do Pará.

A região também possui importantes polos industriais que contribuem significativamente para a sua economia.

O clima predominante da Amazônia é o equatorial úmido, mas há registros do clima equatorial semiúmido em parte de Roraima e Mato Grosso e, em outras partes, o tropical também está presente.

A bacia Amazônica que é considerada a maior bacia hidrográfica do planeta também se localiza nessa região.

Centro-Sul

A região geoeconômica do Centro-Sul é a mais populosa, a mais industrializada e a que tem o maior PIB do Brasil.

Compreende todos os estados da região Sul, Sudeste (exceto o norte de Minas Gerais) e também os estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, sul do Tocantins e do Mato Grosso.

O Centro-Sul é uma região muito diversificada em relação às suas atividades econômicas, mas a base da sua economia é a agricultura de exportação e a indústria.

Os climas encontrados nessa região são o tropical, o subtropical, localizado em toda a região Sul e parte de São Paulo e o tropical de altitude, principalmente em áreas serranas.

É a região geoeconômica que mais atrai imigrantes por ter terras e preços mais acessíveis, expansão agrícola e oportunidades de emprego e progresso maiores do que outras regiões.

Seu relevo se constitui de planaltos e serras, localizados no chamado Atlântico-Leste-Sudeste, escarpas (terrenos com mais de 100 metros de altura), localizados no litoral da região, e latitudes mais baixas na porção central.

Nordeste

A região geoeconômica do Nordeste é a segunda mais populosa do Brasil e a que possui o segundo maior PIB.  Inclui todos os estados da macrorregião Nordeste (exceto o oeste do estado do Maranhão) e o norte de Minas Gerais.

Os climas encontrados são o tropical úmido, no litoral do Nordeste, o tropical, na região do semiárido e do litoral e o semiárido, que é predominante em todo o sertão. A maioria dos rios são temporários e secam em algumas épocas do ano.

Por ter características físicas muito distintas, essa região geoeconômica é dividida em 5 sub-regiões. São elas:

  • Meio Norte

Corresponde a área localizada entre o sertão semiárido e a região amazônica, incluindo o estado do Maranhão e Oeste do Piauí.

A economia do meio norte gira em torno do extrativismo vegetal, agricultura tradicional de algodão, cana-de-açúcar e arroz. Sua vegetação é composta em grande parte da mata dos cocais, carnaúbas e babaçus.

  • Sertão

Compreende o centro da região Nordeste que possui o clima semiárido e é caracterizado pela escassez de chuvas.

A vegetação do sertão é a caatinga e sua economia é a pecuária extensiva e de corte, plantio de milho, feijão e cana de açúcar, além do cultivo irrigado de frutas e flores e algumas indústrias.

Agreste

Localizado entre a Zona da Mata (úmida) e o sertão semiárido (seco).

A economia do Agreste advém da pecuária extensiva no sertão e agricultura de subsistência nos locais mais úmidos.

Zona da Mata

É a sub-região mais populosa do Nordeste e corresponde à área entre o litoral do Rio Grande do Norte e Sul da Bahia. Nela estão situadas grandes capitais como Natal, Salvador e Maceió.

O clima predominante nessa região é o tropical úmido e sua economia é baseada na monocultura da cana-de-açúcar para exportação, além do cultivo do cacau e do fumo.