Causas da Descolonização na Ásia e África

Dos fatores mais importantes de descolonização da Ásia e África, merecem destaque o declínio da Europa após a Primeira Guerra Mundial; a ascensão do nacionalismo afro-asiático e a emergência das superpotências: Estados Unidos e União Soviética.

Declínio Europeu pós Primeira Guerra Mundial

O declínio da Europa depois da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) provocou a mútua destruição das potências imperialistas que entraram em luta pela re-divisão do mercado mundial.

A guerra devastou o continente, drenou recursos e enfraqueceu as metrópoles coloniais, deslocando a supremacia da Europa para os Estados Unidos. Essa decadência se agravou ainda mais com a crise de 1929 e se completou com o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

É válido lembrar que, por volta de 1900, cerca de 56,6% da Ásia e 90,4% da África estavam sob controle do colonialismo europeu. Nessa época a França, cuja superfície era de apenas 547 mil quilômetros quadrados, possuía um império colonial de 10 milhões de quilômetros quadrados e 100 milhões de habitantes; a Inglaterra, com uma área de 244 mil quilômetros quadrados, tinha 55 colônias que abarcavam 33 milhões de quilômetros quadrados e 500 milhões de pessoas.

Segunda Guerra Mundial – Principais Consequências



Uma das principais consequências da Segunda Guerra Mundial foi o fim dos grandes impérios coloniais europeus, com o processo de descolonização da Ásia e da África. Entre 1945 e 1960 conquistaram a independência mais de 40 países afro-asiáticos, habitados por 800 milhões de pessoas, o que representava na época um quarto da população do globo.

Ascensão do Nacionalismo Afro-asiático

Quando a Europa foi dividida em esferas de influência dos Estados Unidos e da União Soviética, a ascensão do nacionalismo afro-asiático foi impulsionada, em larga medida, pela decadência europeia, uma vez que os dois processos se entrelaçaram e se influenciaram reciprocamente.

Se, por um lado, a crise europeia fortaleceu o nacionalismo dos povos colonizados, por outro, o surgimento dos movimentos de libertação nacional nos países afro-asiáticos acelerou a crise do colonialismo europeu. A luta anticolonialista recebeu também a influência da Carta da ONU, que, em 1945, reconheceu o direito dos povos colonizados à autodeterminação, e da Conferência de Bandung, realizada por 29 países recém-independentes que, em 1955, declararam seu apoio ao combate contra o colonialismo, o racismo e o imperialismo.

Emergência dos Estados Unidos e União Soviética – Superpotências

A emergência dos Estados Unidos e da União Soviética como superpotências contribuiu para acelerar a liquidação dos impérios coloniais uma vez que ambos, ainda que por razões diferentes, apoiaram o processo de descolonização.

Os Estados Unidos viam na descolonização uma forma de consolidar sua supremacia sobre o bloco capitalista expandindo sua influência econômica aos mercados afro-asiáticos, até então sob controle das antigas metrópoles coloniais.

A União Soviética via na descolonização um meio de estender sua influência política a esses países. No contexto global da guerra fria, cada uma das superpotências procurava atrair os novos países para sua respectiva esfera de influência.