» » Extrativismo Vegetal no Brasil

Extrativismo Vegetal no Brasil

Os recursos advindos do extrativismo vegetal no brasil são usados principalmente como matéria prima para a fabricação de diversos produtos, como por exemplo o látex, extraído das seringueiras, é utilizado na fabricação da borracha.

O Brasil é um país cuja biodiversidade ultrapassa as expectativas, pois conta com uma vasta gama de espécies cuja maioria é explorável economicamente. Por conta disso, o extrativismo vegetal irrestrito tem colocado em risco de extinção várias espécies ao longo do tempo.

Sendo assim, o desmatamento é a principal consequência do extrativismo vegetal no Brasil. A pecuária e o plantio de soja também são grandes responsáveis pelo desmatamento de áreas repletas de mata selvagem. Por conta disso, criou-se o conceito de extrativismo sustentável, baseado em reflorestamento ou na própria preservação dessas áreas de floresta.

A madeira é o principal produto visado pelo extrativismo vegetal, extraída na maioria das vezes da Mata das Araucárias, da Mata Atlântica e da Floresta amazônica. Essa madeira é destinada principalmente à produção de papel.

Extrativismo Vegetal no Norte e Nordeste

No leste do Pará, a extração de castanha-do-pará é bastante lucrativa, pois além de ser enviada para todo o país, esse produto ainda é exportado internacionalmente. Isso também acontece com o palmito e o açaí, extraídos na Amazônia.

Ainda na região norte, temos a extração do látex nas seringueiras, que já teve seu auge no ciclo da borracha, porém ainda é de grande importância nacional.

A região nordeste conta com a extração da piaçava para produção de vassouras e cordas para navios, além do babaçu extraído no Maranhão e Tocantins, e da carnaúba extraída no Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte.

Atualizado em: 04/04/2019 na categoria: Geografia do Brasil