» » Relevo Brasileiro e suas Formas Predominantes

Relevo Brasileiro e suas Formas Predominantes

Temos, no Brasil, formas de relevo de baixas e médias altitudes, com a presença de planaltos, depressões e planícies. O relevo brasileiro não possui grandes montanhas devido a sua idade geológica. Como ficou exposto às ações de agentes naturais externos durante muitos anos, isso aumentou o desgaste da sua superfície.

Classificação do relevo brasileiro

O relevo brasileiro foi classificado pela última vez de maneira exata em 1989, por Jurandyr Ross. Ele deu as seguintes definições para as três unidades do relevo:

  • Planaltos

Porções residuais salientes do relevo mais resistentes à erosão. Os planaltos, também conhecidos como platôs, são regiões mais elevadas em relação ao seu entorno, com altitudes de mais de 300 metros acima do nível do mar.

Apesar da sua elevação, os planaltos são planos. Neles, a erosão é o processo predominante à sedimentação. Eles são classificados de acordo com sua formação geológica:

  • Planalto sedimentar – formado por rochas sedimentares;
  • Planalto Cristalino – formado por rochas cristalinas;
  • Planalto basáltico – formado por rochas vulcânicas.
  • Planícies

Superfícies planas onde o processo de sedimentação é maior que o de erosão. As planícies são regiões planas com, no máximo, 100 metros de altitude. Ao contrário do que acontece nos planaltos, há o predomínio do processo de sedimentação sobre o processo de erosão.

Há três tipos de planícies: as planícies costeiras são constituídas pela ação do mar. As planícies fluviais são formadas pela ação de um rio, enquanto as planícies lacustres são formadas pela ação de um lago.

  • Depressões

São áreas rebaixadas pelo processo de erosão nas bordas das bacias sedimentares, entre as mesmas e os maciços cristalinos. Depressões são regiões com altitudes mais baixas em relação ao território ao seu redor, formadas principalmente pelo processo de erosão.

Há duas classificações: depressões absolutas, que ficam abaixo do nível do mar, e as depressões relativas, que encontram-se acima do nível do mar.

As depressões brasileiras são chamadas de depressões relativas, pois possuem altitude mais baixa do que o seu entorno, cerca de 100 a 500 metros, mas estão abaixo do nível do mar, como as depressões absolutas.

Atualizado em: 02/11/2018 na categoria: Geografia do Brasil