» » Independência da Catalunha

Independência da Catalunha

O processo pela busca da independência da Catalunha é decorrente do nacionalismo catalão, que defende que a cultura da região – composta pelas províncias de Barcelona, Girona, Lérida e Tarragona – é diferente do restante da Espanha.

Os separatistas reclamam, principalmente, a perda de direitos, a exemplo de usar a própria língua como a oficial. Além disso, a região declara pagar mais impostos ao governo central da Espanha do que recebe de investimentos. Os primeiros movimentos nesse sentido datam de 1859, com a restauração dos Jogos Florais.

Processo recente de independência da Catalunha

Os movimentos modernos de independência tiveram início em 2006, quando o Estatuto de Autonomia foi contestado na Suprema Corte da Espanha, sob a alegação de que alguns artigos eram inconstitucionais. Os protestos populares à decisão logo se transformaram na bandeira da independência. Em 2010, um dos protestos contou com a presença de mais de um milhão de pessoas.

No dia 11 de setembro de 2012, Dia Nacional da Catalunha, novamente a população exigia que o governo catalão iniciasse o processo de independência. As eleições pró-independência alcançaram maioria, pela primeira vez. Em 9 de novembro de 2014, aconteceu o referendo de autodeterminação catalã, uma nova consulta popular – proibido pela justiça espanhola.

A polêmica independência da Catalunha em 2017

As últimas eleições sobre o assunto, novamente consideradas ilegais, ocorreram em 1º de outubro de 2017, organizado pelo então presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, com a participação de 43% do eleitorado. Dos participantes, 90% eram a favor da independência. Isso levou o parlamento da Catalunha a aprovar uma resolução que criou uma república independente, unilateralmente, em uma votação considerada ilegal, sem o reconhecimento do governo espanhol, sob o comando do presidente Mariano Rajoy.O primeiro-ministro acionou o artigo 155 da constituição espanhola, suspendendo a autonomia da região e destituindo Puigdemont de suas funções. Após o acontecimento, os organizadores do referendo foram presos.

Catalunha hoje

Atualmente, a Catalunha é administrada pelo presidente Quim Torra, que continua com os planos de independência.

Atualizado em: 05/12/2018 na categoria: Historia do Brasil